quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Agente da PSP de Setúbal que matou a mulher ficou em prisão preventiva


«O agente da PSP de Setúbal que é acusado de matar a mulher com um tiro no peito, na tarde de terça-feira, ficou em prisão preventiva.

O Tribunal de Setúbal chegou a admitir adiar a diligência para hoje, mas voltou atrás e ouviu ainda José Dinis, decretando a sua detenção. O suspeito tinha sido capturado por junto ao cemitério de Melides (Grândola) durante a madrugada.

Em 20 e tal anos de casamento foram muitas as discussões entre o agente Dinis e a mulher Maria José. Ontem, ao fim da tarde e após este ter saído do serviço, na PSP de Setúbal, dirigiu-se para casa (também em Setúbal) e seguiu-se mais uma briga que desta vez terminou mal: com a morte da mulher, de 45 anos. Dinis, com a mesma idade, terá morto a companheira com um tiro no peito disparado por um revólver de uso particular.

Ao DN, Júlio Bárbas, Inspector-chefe do Departamento de Investigação Criminal da PJ de Setúbal - entidade que tomou conta da ocorrência após uma primeira intervenção da PSP - assegurou que a arma de serviço do agente ficou no local de trabalho e que o crime foi praticado por um revólver de uso pessoal. Isto, leva a crer, diz, que "o crime não foi premeditado".

De acordo com este responsável, "terá existido uma primeira discussão, seguido de tentativa de reconciliação e, novamente seguido de discussão". Após ter solicitado ao filho mais novo do casal (14 anos) para ir dar uma volta, a discussão prosseguiu no quarto do casal, tendo Dinis disparado um tiro fatal no peito da mulher.

O casal tem dois filhos que "não presenciaram o crime". A filha mais velha, de 21 anos, estava a trabalhar, enquanto o mais novo (em vez que cumprir a ordem do pai e sair de casa, refugiou-se num outro departamento da casa, mas não assistiu à discussão).»


in DN online, 31-8-2011

Bragança: Idosa assassinada pelo marido na aldeia de Coelhoso


«Uma idosa foi alegadamente assassinada, esta quarta-feira, pelo marido na aldeia de Coelhoso, concelho de Bragança, em circunstâncias que as autoridades estão ainda a tentar esclarecer.

A vítima apresentava um ferimento na cabeça e estava já sem vida quando chegaram ao local os meios de socorro e as autoridades, que desconhecem ainda com que objecto terá sido atacada, adiantando apenas tratar-se de "um objecto contundente e cortante", precisou fonte da GNR citada pela Lusa.

A GNR foi a primeira a chegar ao local, alertada pelos vizinhos do casal hoje de manhã, mas o caso foi entregue a Polícia Judiciária.

Segundo a fonte da GNR, a vítima tinha 71 anos e o alegado autor do crime 76 anos.

As autoridades suspeitam que o homem, que se encontra detido para ser presente em tribunal, sofrerá de problemas de saúde mental.

Alguns habitantes da aldeia onde o casal, emigrado em França, se encontrava a passar férias, relataram que as discussões entre ambos eram frequentes.»



in JN online, 31-8-2011

Setúbal: Polícia que matou mulher já foi detido

«O agente da PSP suspeito de ter assassinado a mulher a tiro na noite de terça feira já foi detido.


- Agente da PSP matou mulher terça-feira à noite -

O homem, agente principal numa esquadra em Setúbal, foi detido pelas autoridades policiais por volta das 02h00 da madrugada desta quarta-feira junto ao cemitério de Melides, não tendo oferecido resistência.

Como o CM noticiou, o alegado homicida teria fugido de Setúbal após trancar o filho na casa de banho e ter dado um tiro no coração da mulher, para Melides, para se despedir da mãe.

O agente da PSP deverá ser presente brevemente a tribunal.»


in CM online, 31-8-2011

Sintra: Polícia Judiciária detém padrasto por violação de enteada de 11 anos


«A Polícia Judiciária anunciou hoje a detenção de um homem de 34 anos por fortes indícios de abuso sexual de uma enteada, de apenas 11 anos, tendo ficado em prisão preventiva.

De acordo com a Directoria de Lisboa e Vale do Tejo da PJ, os factos ocorreram na residência da família, na zona de Sintra, tendo sido conhecidos na segunda-feira pela Judiciária, que de imediato procedeu à detenção.
O detido foi ouvido hoje em primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação mais gravosa, a prisão preventiva.»


in DN online, 30-8-2011

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Setúbal: Agente da PSP suspeito de matar a mulher


«Um agente da PSP terá morto, esta tarde de terça-feira, em Setúbal, a sua mulher com um tiro no peito. As primeiras informações indicam que a mulher do agente foi transportada para o hospital ainda com vida, mas não terá resistido aos ferimentos.

Segundo informações recolhidas pelo JN, o agente da polícia pertence à 1ª Esquadra da PSP no centro de Setúbal e, até ao momento, ninguém sabe do seu paradeiro.

O JN apurou ainda que este agente tinha sido anteriormente transferido do trânsito para aquela esquadra, por razões que se prendiam com o consumo de bebidas alcoólicas.

O crime terá ocorrido pelas 18 horas, no bairro Afonso Costa, em Setúbal.»


in JN online, 30-8-2011

Jornalista Nuno Simas vai apresentar queixa-crime por devassa da vida privada feita pelos serviços secretos


«O jornalista Nuno Simas vai apresentar uma queixa-crime ao Ministério Público por devassa da vida privada, na sequência da alegada espionagem feita pelos serviços secretos ao seu telemóvel, em 2010, quando trabalhava no jornal "Público".

Numa declaração à Agência Lusa, Nuno Simas referiu que já deu instruções ao seu advogado para que apresente uma queixa-crime para esclarecer aquilo que parece ser uma devassa da vida privada e que o processo deverá dar entrada no Ministério Público ainda esta semana.

"Pedi ao meu advogado para apresentar uma queixa-crime para esclarecer aquilo que parece ser uma devassa da minha vida privada", disse.»


in JN online, 30-8-2011

Formandos da PSP suspeitos de falsificação poderão enfrentar Justiça


«Os três formandos da Escola Prática de Polícia suspeitos de terem falsificado o certificado de habilitações serão expulsos da instituição e terão de responder perante a Justiça caso se confirme o crime, disse fonte oficial da PSP.

A decisão foi confirmada esta segunda-feira à agência Lusa por fonte oficial da Direcção Nacional da PSP, acrescentando que "tudo leva a crer que os três alunos visados tenham mesmo apresentado certificados falsos" aquando do processo de candidatura e selecção.

Os três formandos frequentam o Curso de Agentes da PSP na Escola Prática de Polícia (EPP), que começou no início deste ano, previsto terminar em finais de Setembro, estando neste momento, à semelhança dos restantes cerca de 900 alunos, em período de férias escolares.

As aulas recomeçam no início de Setembro mas até essa altura a PSP conta ter concluído os três processos disciplinares que ditarão, "com forte probabilidade", a expulsão dos três elementos, que incorrem também num processo-crime por falsificação de documentos.

As autoridades aguardam só a confirmação das escolas envolvidas de que os certificados de habilitações literárias do 12.º ano são falsos e assim que isso acontecer os três alunos "serão imediatamente expulsos", garante a PSP.

A Direcção Nacional da PSP confirma ainda que "será dado conhecimento ao Ministério Público" da situação, para que sejam desenvolvidas as diligências previstas na lei.

A Escola Prática de Polícia, situada em Torres Novas, é o único estabelecimento de ensino no país responsável pela formação e instrução de todos os agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP), que após concluírem os respectivos cursos são colocados a nível nacional.

O número de cursos abertos por ano depende do número de vagas autorizadas pelo Governo, estando neste momento a decorrer um único Curso de Agentes da PSP com cerca de 900 alunos, entre eles os três suspeitos da falsificação dos documentos.

A entrega do certificado de habilitações literárias do 12.º ano é um dos requisitos obrigatórios, entre outros, para todos os candidatos que concorrem ao Curso de Agentes da PSP.»


in JN online, 30-8-2011

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Justiça portuguesa deixa fugir violador de jovem turista italiana

«Guineense libertado deu ao tribunal morada onde não vive e já falhou a apresentação na PSP.

Três crimes de violação à jovem turista italiana, sequestrada dentro de uma pensão em Lisboa, conforme está indiciado o guineense pelo próprio Ministério Público, não levaram a procuradora, no dia 9, a promover a prisão preventiva do suspeito até ao julgamento. Teria de se apresentar de 15 em 15 dias à PSP, mas, entretanto, já está em fuga.

Deu ao tribunal uma morada na Amora, Seixal, onde nunca viveu no pouco tempo que passa em Portugal – quem lá mora é a irmã. E, na última sexta-feira, dia em que estava pessoalmente notificado para se apresentar na esquadra da área de residência, não meteu os pés na PSP da Cruz de Pau. Passaram duas semanas desde que a Judiciária o levou a tribunal e escapou. Não foi acautelado o perigo de fuga.

Só já depois de o guineense ter saído à solta do tribunal se percebeu que o suspeito de três violações – uma por cada dia em que a jovem esteve sequestrada – deu uma morada falsa, passa a vida entre Portugal e Espanha, onde é procurado por crimes, e já tinha um pedido de paradeiro dos Juízos Criminais de Lisboa, por tráfico de droga.

VIAGEM DE FINAL DE UNIVERSIDADE ACABA EM TERROR

A italiana de 25 anos, estudante universitária em final de curso, chegou de comboio a Lisboa no último dia 5, sexta-feira, depois de uma passagem por Faro. Andava a deambular pelas ruas do Chiado, à procura de uma pensão, quando o guineense, 42 anos, meteu conversa para a ajudar. Acabou por atrair a vítima a um quarto por ele arrendado na zona do Conde Redondo, conforme declarações da turista à PJ, local onde foi violada e agredida sucessivamente até domingo, dia 7, pelo homem que lhe retirou a carteira e os documentos. Sequestrada e mantida sempre sob ameaça, adiantou a PJ em comunicado no dia 9, a jovem era levada à rua, onde pagava todas as despesas do violador e não conseguia fugir nem pedir socorro por medo.

PERÍCIAS APONTAM PARA SEXO E AGRESSÕES NO PESCOÇO
O relatório pericial do Instituto de Medicina Legal de Lisboa, examinada a vítima, não deixa dúvidas sobre as relações sexuais mantidas e faz referência a uma lesão que a jovem italiana apresentava ao nível do pescoço – passível com a violência exercida pelo imigrante guineense. E a Judiciária, pelas provas testemunhais e outras que recolheu, anunciou em comunicado: "[...] na unidade hoteleira, impedindo a vítima de sair, violou-a e aí a manteve contra a sua vontade [...]. Depois de breves saídas à rua e sempre sob apertado controlo do suspeito, o qual lhe retirara previamente toda a documentação e bens pessoais, voltaria a violentá-la sexualmente." »


in CM online, 29-8-2011

Proença-a-Nova: Matou a enteada e entregou-se à GNR


«Um homem assassinou a sua enteada com recurso a uma arma branca, cerca das 02.30 horas desta segunda-feira, em Proença-a-Nova, distrito de Castelo Branco, e depois entregou-se às autoridades.

De acordo com a GNR, tratou-se de "homicídio voluntário", sendo, para já, desconhecidos os motivos que levaram à prática do crime.

O caso foi entregue à Polícia Judiciária para investigação.»


in JN online, 29-8-2011

domingo, 28 de agosto de 2011

Santa Maria da Feira: Homem mata mulher e entrega-se na GNR


«Um homem de Santa Maria de Lamas, no concelho de Santa Maria da Feira, matou este domingo, a mulher com duas facadas, entregando-se em seguida no posto da GNR daquela localidade.

A mulher, de 46 anos, foi atingida mortalmente cerca das 3.30 horas.

Segundo a fonte da GNR, o alegado homicida será presente segunda-feira a um juiz de Santa Maria da Feira para fixação de medidas de coacção.

O caso passou, entretanto, para a alçada da Polícia Judiciária.»


in JN online, 28-8-2011

sábado, 27 de agosto de 2011

Cascais: Polícia Judiciária procura mulher que assalta bancos sozinha



«A Polícia Judiciária (PJ) procura uma mulher jovem, baixa, morena e que veste de escuro, suspeita de assaltar pelo menos dois bancos na zona de Cascais. De acordo com o «Correio da Manhã» (CM), que avança a notícia, a mulher terá já assaltado dois bancos. Um no início do ano e outro na última quinta-feira.

No último assalto, a mulher entrou no Montepio Geral da Parede, como cliente, pela hora de almoço. Esperou na fila, como se fosse uma cliente normal. Quando chegou junto da funcionária, sacou da pistola e disse: «Tens 30 segundos para me dar todo o dinheiro». Tal como no primeiro assalto de que é suspeita, levou 300 euros. Na agência, ninguém deu conta do sucedido.

A PSP foi chamada, mas o caso foi entregue à PJ, que já analisou as imagens da videovigilância. As autoridades estão intrigadas porque é inédito em Portugal uma mulher, sozinha, a assaltar bancos.»


in TVI24 online, 27-8-2011

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

França: português de 75 anos abatido a tiro depois de assaltar um casino


«É o fait divers do dia em França. O assalto executado ontem por Manuel Canedo, de 75 anos, a um dos casinos mais importantes e mais vigiados de França - em Trouville, a dois passos de Deauville, uma zona balnear de luxo da costa da Normandia - tem honras de primeiras páginas nos jornais de hoje e enorme destaque nos telejornais em França .

A razão do relevo dado a este caso é simples: o idoso - de "origem portuguesa", segundo a imprensa francesa - era um pacato residente de Gacé, no norte da França, onde vivia há muitos anos. Agiu sozinho e protagonizou uma fuga digna dos mais bem experimentados malfeitores e dos melhores filmes de ação.

Atingiu dois agentes...

Manuel Canedo entrou ao início da tarde (14h15 locais) no gigantesco casino, com uma pistola obrigou os empregados a entregarem-lhe a soma que tinham em caixa (€7500). Depois, disparou dois tiros para intimidação, saiu do casino, envolveu-se num tiroteio com os polícias que o aguardavam à saída, atingiu um deles que se salvou por usar um colete à prova de bala, e protagonizou uma espetacular perseguição automóvel nas pequenas estradas da Normandia.

No decorrer da fuga, que durou perto de três horas, o emigrante septuagenário foi perseguido por diversas patrulhas auxiliadas por um helicóptero. Enquanto conduzia, disparou ainda contra os polícias e feriu um deles num braço. Os agentes também dispararam contra ele, mas não o atingiram.

...despistou-se, fugiu a pé, fez um refém...

Na sequência da fuga, Manuel Canedo despistou-se com o seu Seat Ibiza e teve de deixar o carro. Apesar de ter 75 anos, o fugitivo conseguiu escapar a pé às forças policiais. Mais tarde, já na aldeia de Drives, obrigou o condutor de um Opel Zafira a conduzi-lo no seu carro, prosseguindo a evasão.

O refém, aterrorizado, arranjou maneira de sair do carro pouco depois, quando o veículo teve de parar uns segundos num pequeno engarrafamento.

...e foi abatido a tiro

Manuel Canedo pegou então no volante e continuou a escapulir-se à polícia. Só parou quando, meia hora depois, chocou com um dos carros das patrulhas policiais. Foi então que foi abatido a tiro, pouco depois das 17h. Mas ele, nessa altura, não disparou: os agentes dizem que o fugitivo recusou render-se e mostrou uma posição agressiva, ameaçando-os com o revólver.

"Avô pistoleiro assaltante" deprimido

Esta inacreditável história do já chamado "avô pistoleiro assaltante" intriga os franceses. Na aldeia de Gacé, onde Manuel Canedo vivia, diz-se que ele era um reformado solitário e viciado no jogo, que andava deprimido e que sofria da doença de Parkinson.

Sem passado criminal nem ligações conhecidas ao mundo do crime, alguns dizem que ele desejava suicidar-se e que foi essa a forma que encontrou para morrer.

Já esta tarde, a Polícia francesa recusou-se a fornecer pormenores sobre a identidade e a personalidade do idoso, segundo tudo indica português.

"As investigações estão em curso", disse um agente ao Expresso. Mas a própria Polícia ficou pasmada com o "feito" do "avô pistoleiro": Manuel Canedo assaltou, pouco depois da abertura do casino, um enorme e importante espaço de jogo com 160 empregados, dezenas de clientes e de seguranças no interior, foi filmado por diversas câmaras de videovigilância e durante três horas conseguiu escapar, de carro e a pé, a dezenas de treinados agentes!»

 
in Expresso online, 26-8-2011

GNR: 641 detenções na última semana, 286 por condução com excesso de álcool


«A GNR efetuou na última semana, nas áreas territoriais da sua responsabilidade, 641 detenções, 286 das quais de automobilistas com excesso de álcool no sangue, revelam dados hoje divulgados na página oficial da guarda na internet.

No período entre 19 e 25 de agosto, a GNR registou 108 detenções em ações de policiamento geral (contra a vida em sociedade, contra o património, contra as pessoas e contra o Estado, entre outras), 180 por falta de carta de condução, 28 por tráfico de droga, 12 por posse ilegal de arma e 27 por crimes contra a guarda.

Os militares da guarda registaram ainda 673 crimes que não resultaram em detenções, dos quais 466 por infração à legislação rodoviária, 82 por ilícitos referentes à legislação policial, um por infração à legislação fiscal aduaneira, 13 por violação da legislação fiscal não aduaneira e 111 por crimes relativos à proteção da natureza e ambiente.

Na última semana foram passadas 12.509 contra-ordenações, entre elas 11.389 por infrações de trânsito, 438 por ilícitos à legislação policial, 12 por infrações à legislação aduaneira, 192 relacionadas com legislação fiscal não aduaneira e 478 por violações ambientais.

No âmbito da legislação fiscal e aduaneira, foi ainda apreendida no valor de 12.509 euros.

No que se refere à sinistralidade rodoviária, registaram-se no período em análise 1.501 acidentes de viação, dos quais resultaram 18 vítimas mortais, 45 feridos graves e 509 ligeiros.

Foram ainda contabilizados 16 acidentes de trabalho, com duas vítimas mortais, um ferido grave e 12 ligeiros.»


Lusa, 26-8-2011


quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Valpaços, Vila Real: Detido por matar e lançar corpo de familiar em poço no Natal de 2008


«Ao fim de mais de dois anos e meio, a Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quinta-feira a detenção de um suspeito de autoria de um crime ocorrido a 24 de Dezembro de 2008, em Vila Real.

Segundo as autoridades, a investigação iniciou-se com “a localização de um cadáver/ossadas de um homem, de 44 anos de idade, no interior um poço de água” em Valpaços. O mesmo estava desaparecido desde a véspera de Natal do referido ano.

O crime terá ocorrido num contexto “de grande violência” e envolveu o uso de uma caçadeira.

A PJ diz ainda que a vítima é familiar do arguido, que tem 20 anos e que vai ser presente esta sexta-feira a tribunal para aplicação de medidas de coacção.»


in CM online, 25-8-2011

Amadora: Detido suspeito de violar mulher de 77 anos que morreu em consequência da violação


«A Polícia Judiciária deteve o alegado autor da violação e agressão violenta de uma mulher de 77 anos, do bairro do Zambujal, Amadora, que veio a morrer na quarta-feira, no Hospital São Francisco Xavier, em consequência dos ferimentos sofridos.

O detido, de 32 anos, e que se encontrava em liberdade condicional, está indiciado pelos crimes de homicídio, violação e roubo e será ouvido, esta quinta-feira, por um juiz de instrução criminal para aplicação de medidas de coacção.
 
Os factos ocorreram no sábado passado, num descampado junto ao bairro do Zambujal, na Amadora, quando Arminda Vaz, natural de Cabo Verde, regressava a casa, onde vivia com dois sobrinhos.  

O homem agora detido pela Judiciária terá agredido violentamente Arminda Vaz na cabeça, depois de a ter sujeito a práticas sexuais violentas e roubado, tendo a vítima ficado três dias em coma, não conseguindo resistir aos ferimentos.»


in JN online, 25-8-2011

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Marido da fadista Mariza procurado pela Interpol


«O companheiro da fadista Mariza, dono de um império em Luanda, caiu em desgraça quando o ministro da defesa de Angola o acusou de desviar fortuna. Não vai ao país da costa ocidental de África há um ano, onde a polícia o quer interrogar.

O império somava já participações em mais de trinta áreas de negócio, dez anos depois, sob liderança de António Ferreira mas com a 'bênção' do ministro da defesa de Angola, a quem o primeiro deu sociedade. E a prosperidade mantém-se, num grupo que detém agora sete casinos no país - mas o companheiro de Mariza, pai do filho bebé da fadista, está fora do barco. Caiu em desgraça com o general, que o acusa de ter desviado largos milhões da empresa. E há mais de um ano que o português não vai a Lunda. A Interpol procura-o por suspeitas sobre negócios no Congo.

A edição de hoje do "Correio da Manhã" avança que continua pendente em nome do empresário um mandado de comparência no gabinete da Interpol em Luanda, a pedido da congénere do Congo, para que António Ferreira seja interrogado a propósito de negócios que manteve no país. Mais um entrave nas relações do companheiro de Mariza com África - depois do 'divorcio' com o General Kundi Paihama, ministro da defesa.»


in DN online, 24-8-2011

Marido da fadista Mariza suspeito de agressão


«Advogado Henrique Doroteia queixa-se na PSP por empresário António Ferreira ter contratado os três homens que o agrediram.


- Suspeito é pai do filho bebé da fadista Mariza -

Barbaramente espancado à frente da mulher, com sucessivos socos entre o rosto e as costelas, pelos três homens que sábado à tarde o apanharam à traição à porta do escritório, no coração de Lisboa, o advogado Henrique Doroteia não tem dúvidas de quem encomendou o crime por causa de negócios em Angola. "Foi o António da Costa Ferreira", actual companheiro de Mariza e pai do filho da fadista, garante a vítima à PSP e ao CM. "Por estar acusado de ter desviado vários milhões de dólares das empresas que eu agora administro".

O advogado, que ontem falou ao nosso jornal, já tinha concretizado as acusações ao empresário na PSP, onde apresentou queixa contra os três desconhecidos que o atacaram e António Ferreira, com "a certeza" de que este ordenou o espancamento. "Inclusive ameaçou-me no início deste mês". Henrique Doroteia conta "ser agora ouvido no Ministério Público, para poder apresentar todas as provas".

Em causa o facto de o companheiro de Mariza ter sido "destituído do cargo que ocupou em Angola mais de dez anos, até ao final de 2008, de único administrador de uma sociedade com interesses em imobiliário e na construção de obras públicas, entre outros. O sócio dele, uma das principais figuras do estado de Angola, acusou-o de desviar vários milhões para Portugal e Brasil, e ele foi afastado da gestão da empresa – nomearam um novo grupo de gestão de que eu faço parte", conta o advogado.

António Ferreira "tem participação na empresa e continua a receber mais de 200 mil dólares por mês. Mas agora quer vender a parte dele e um potencial comprador pediu-nos a avaliação: fizemo-la bastante abaixo do que ele pedia. No início deste mês o António Ferreira ligou-me para Angola a dizer que quando viesse a Lisboa ia aprender. Para já, levei uma tareia [ver caixa]", diz Henrique Doroteia.

"NÃO ROUBARAM NADA E AFASTARAM A MINHA MULHER. EU ERA O ALVO"

Sábado à tarde, eram 19h00, o advogado passou pelo seu escritório, na avenida Duque de Loulé, antes de a mulher o levar ao aeroporto – de partida para Angola. "Chegaram três homens com mais de 1,80 m, musculados, com ar de profissionais de segurança, e enquanto um me prendeu os braços e tapou a vista, os outros começaram a dar--me sucessivos socos na cara e nas costelas. Ainda pensei que fosse assalto, disse-lhes para levarem o jipe, com tudo lá dentro, mas só me queriam bater – a sorte foi um autocarro que parou e eles fugiram a pé", conta ao CM Henrique Doroteia. "Antes ainda empurraram a minha mulher, que viu tudo, mas só me queriam a mim. Fomos depois pedir socorro a um hotel, de onde chamaram o INEM", diz.

"MONTOU ARMADILHA COM O PRIMO"
Henrique Doroteia diz que a armadilha de António da Costa Ferreira "foi montada com a ajuda de Eduardo Alcouce, os dois são amigos mas tratam-se como primos. Este último ligou-me na semana passada a pedir que lhe levasse uma carta para Luanda – perguntando-me quando ia e como me podia entregar o envelope. Eu disse-lhe que sábado ia estar no escritório entre as 19h00 e as 20h00, antes de ir apanhar o avião – e no próprio dia, pelas 15h00, ele ligou-me a confirmar se eu ia lá estar. Foi assim que eles me apanharam. Por isso os três homens estavam na rua, à porta, à minha espera. Isto, além da ameaça que o António Ferreira já me tinha feito, não deixa dúvidas".

DIREITO DE RESPOSTA

ANTÓNIO COSTA FERREIRA REAGE
"A notícia publicada em 23/08/2011 com chamada principal de primeira página com o título ‘Marido de Mariza suspeito de agressão’, é falsa e gravemente lesiva da minha honra, imagem e bom nome, bem como da minha família. Nada tenho que ver com a história de que dão conta, nem tenho presentemente qualquer relação com a alegada vítima da referida notícia, com excepção dos processos que correm termos em juízo em Portugal e em Angola, e que estão confiados aos meus advogados, que apresentaram junto dos tribunais competentes para o efeito, em razão das ilicitudes cometidas pelo dito Henrique Doroteia, algumas do foro criminal, relativamente a sociedades nas quais tenho interesses, e a bens do meu património. Confio no funcionamento da justiça, seja em Portugal, seja em Angola, pelo que também em relação a esta agressão apresentarei participação para efeitos de instauração do competente procedimento criminal."
António Manuel da Costa Ferreira»


in CM online, 23-8-2011

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Juiz abandona acusações contra Dominique Strauss-Kahn

«O juiz Michael Obus aceitou esta terça-feira em Nova Iorque encerrar o processo contra Dominique Strauss-Kahn, antigo diretor do Fundo Monetário Internacional.

Strauss-Kahn era acusado de tentativa de agressão sexual e violação por Nafissatu Diallo, empregada de um hotel de luxo de Manhattan.

Após três meses de um processo que custou a demissão de Strauss-Kahn do FMI e o abandono da corrida às eleições presidenciais francesas de 2012, o juiz Michael Obus decidiu encerrar o caso no seguimento de um pedido do procurador de Nova Iorque, Cyrus Vance, que apontou a perda de credibilidade da alegada vítima.

O antigo director do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, afirmou que o processo por crimes sexuais foi "um pesadelo".

Num comunicado difundido após a audiência de hoje, Strauss-Kahn afirma estar "ansioso por voltar a casa e regressar a uma vida normal".

Diante da sua residência provisória em Nova Iorque, Strauss-Kahn agradeceu "a todos os que apoiaram" a sua defesa.

"É o fim de uma experiência terrível e injusta", afirmou o antigo diretor do FMI. "Falarei em mais detalhe quando voltar a França", concluiu Strauss-Kahn.

"DSK", como é habitualmente designado na imprensa francesa, foi detido pelas autoridades americanas a 15 de Maio e acusado formalmente de crimes sexuais. Esteve preso numa penitenciária de alta segurança e foi libertado sob fiança, tendo aguardado pelo decorrer do processo em liberdade vigiada.»


in JN online, 23-8-2011

Strauss-Kahn violou, mas... está livre de processo-crime


«Dominique Strauss-Kahn e Nafissatou Diallo tiveram uma relação sexual "não consentida" mas as declarações "mentirosas" proferidas pela mulher inviabilizam o processo criminal, afirmou o procurador de Manhattan Cyrus Vance .



- Dominique Strauss-Kahn -


De acordo com informações adiantadas pela imprensa norte-americana, os procuradores aconselharam que todas as acusações contra o antigo presidente do Fundo Monetário Internacional fossem levantadas mas oficialmente os documentos não foram tornados públicos e não se conhecem ainda detalhes.

A queixosa, Nafissatou Diallo, e o seu advogado, Kenneth Thompson, reuniram-se brevemente com os procuradores.

O advogado de Nafissatou Diallo denunciou um erro da justiça, depois de a sua cliente se ter reunido com o procurador de Nova Iorque: "O procurador de Manhattan Cyrus Vance recusa o direito à justiça a uma mulher vítima de violação", afirmou Kenneth Thompson. »


in CM online, 23-8-2011
Título do post do editor deste blogue

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Tribunais já aplicaram 54 pulseiras electrónicas a agressores


«Os tribunais já aplicaram 54 vezes a pulseira electrónica a agressores que cometeram crimes de violência doméstica, impedindo-os de se aproximarem das vítimas, um instrumento que está em vigor desde Dezembro de 2009.


- Pulseira electrónica permite vigilância à distância -


Segundo os últimos dados estatísticos do Instituto de Reinserção Social (IRS), os juízes utilizam cada vez mais este instrumento para condenar os agressores. A 31 de Maio deste ano estavam activas 26 pulseiras electrónicas aplicadas por decisão judicial a agressores que cometeram o crime de violência doméstica.

No mês em que este instrumento entrou em funcionamento, os tribunais determinaram a aplicação de apenas três pulseiras electrónicas, tendo o número vindo sempre a crescer.

Segundo a definição da unidade contra a violência doméstica e maus-tratos a menores, criada há um ano e meio no Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, as principais vítimas de violência doméstica são mulheres entre os 30 e os 40 anos, casadas, empregadas e no mínimo com 9.º ano de escolaridade.

A violência entre jovens casais de namorados também está a aumentar.

A Vigilância Electrónica (VE) é um conjunto de meios de controlo e fiscalização à distância que funciona desde 2002 e que, em 2009, foi alargada aos agressores proibindo o contacto com a vítima, no âmbito da violência doméstica.

A redução da pressão do excesso da população prisional e os seus custos, o controlo do cumprimento de decisões judiciais e diminuição da reincidência criminal são alguns dos objectivos deste instrumento, que limita o raio de acção dos agressores.»


in JN online, 22-8-2011

domingo, 21 de agosto de 2011

Pedro Xavier Pereira, consultor da Megafinance, em prisão preventiva


«O juiz Carlos Alexandre decidiu no sábado à noite, após várias horas de audição no Campus da Justiça, em Lisboa, manter o consultor da Megafinance Pedro Xavier Pereira em prisão preventiva.


- Pedro Xavier Pereira -

O presidente do Conselho de Administração da Megafinance, Luís Valente, saiu em liberdade, tendo que se apresentar na esquadra da polícia da sua área de residência.

Vários empresários com elevadas dívidas revelaram nos últimos dias indícios da prática de crimes de burla.

Segundo os mesmos, os responsáveis da Megafinance prometiam-lhes a recuperação financeira em pouco tempo, tendo estes que ceder, em troca, parte das quotas como garantia do pagamento final. A gestão do negócio ficaria também ao encargo dos funcionários da Megafinance.»


in CM online, 21-8-2011

Rio de Janeiro: Juíza Patrícia Accioli assassinada por polícias


«A juíza Patrícia Accioli, executada há uma semana com 21 tiros ao chegar a casa, em Niterói, Rio de Janeiro, pode ter sido assassinada por agentes que investigava. A convicção é da polícia carioca e foi revelada pela imprensa.

- Patrícia Accioli -

A revista ‘Época’ afirma ter tido acesso a documentos nos quais se confirma que Patrícia tinha chegado muito perto de mais um esquadrão da morte formado por polícias, que assassinavam inocentes e raptavam traficantes de droga para depois pedirem resgates em dinheiro e armas. Naquele que foi o seu último despacho oficial, a juíza assinou a detenção de oito desses polícias, seis dos quais foram presos dois dias depois da sua morte.

Famosa por enfrentar polícias corruptos, Accioli mandou prender ou condenou sessenta agentes nos últimos dez anos.»


in CM online, 21-8-2011

sábado, 20 de agosto de 2011

Megafinance: Arguidos continuam a ser ouvidos

«Pedro Xavier Pereira e Luís Valente, presidente do Conselho de Administração da Megafinance, continuam a ser ouvidos no Tribunal de Instrução Criminal. Os dois arguidos suspeitos de burla chegaram às 9h00 ao TIC, acompanhados por elementos da Polícia Judiciária, mas só começaram a ser ouvidos à tarde, avança a SIC.

Na sexta-feira, a PJ fez buscas na sede da empresa de consultoria e auditoria financeira Megafinance, em Lisboa, e nas residências de Pedro Xavier Pereira e Luís valente. Ambos acabaram por ser detidos e passaram a noite num estabelecimento prisional.

Em causa estão indícios da prática de crimes trazidos a público durante os últimos dias, por vários empresários que afirmam terem sido burlados pela Megafinance e por Pedro Xavier Pereira, o autor de uma falsa OPA à Media Capital em 2005.
As queixas deram entrada na Judiciária, no Departamento Investigação e Acção Penal, e até na Comissão de Mercados de Valores Mobiliários. A Megafinance nega as acusações, afirma que é uma consultora financeira, mas admite que Pedro Xavier Pereira se apresentava em nome da empresa com uma alcunha: dr. Cohen Pereira.»

in i online, 20-8-2011

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Emigrante luso-francês apanhado a 236 km/hora fica um ano sem conduzir em Espanha


«O emigrante luso-francês detido na Galiza por circular a 236 quilómetros por hora foi condenado à proibição de conduzir durante um ano, mas apenas em estradas espanholas.

Segundo o jornal "La Voz de Galicia", o condutor, acusado de um crime contra a segurança rodoviária, pagou ainda uma multa de 1600 euros.
 
O controlo de velocidade foi feito, por radar, na terça-feira à tarde, na A-52, a cerca de 50 quilómetros da fronteira de Chaves, quando o homem, de 37 anos, regressava a Portugal, para férias, com a mulher e o filho de oito anos.  

A velocidade a que seguia, num BMW série 6, foi a segunda mais alta registada na Galiza.  

Ainda segundo o mesmo jornal galego, aquele emigrante luso-francês já tem antecedentes por actuações similares em França, onde também esteve implicado em pelo menos um episódio de violência contra os agentes da autoridade directamente relacionado com a condução.  

Na terça-feira, quando foi detido, figurava na base de dados internacional da polícia como tendo a carta de condução apreendida, por perda de pontos, em França, mas tinha-a em seu poder.  

Perante a polícia espanhola, garantiu que o prazo de apreensão tinha expirado alguns dias antes, uma situação que vai agora ser comunicada às autoridades francesas.  

Em Espanha, a velocidade máxima permitida nas autoestradas é de 120 quilómetros por hora - depois de um período em que esteve limitada a 110.  

Em 2008, um Porsche 911 foi controlado pelas autoridades galegas a circular a 249 quilómetros por hora.»


in JN online, 19-8-2011

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Vale e Azevedo “Nunca vai voltar à cadeia”, diz Pragal Colaço, advogado de Dantas da Cunha

«Detido ontem de manhã em Londres, Vale e Azevedo escapou uma vez mais à cadeia. Ouvido no Tribunal de primeira instância de Westminster, na sequência do novo mandado de detenção europeu, o ex-presidente do Benfica foi libertado e voltou para casa pouco depois – vive em Londres, onde aguarda em liberdade a decisão de extradição para Portugal. Tem ainda, a cumprir, uma pena única de cinco anos e meio de cadeia.


- Vale e Azevedo continua em liberdade em Londres -


Recorde-se que a revisão da pena feita pela 4ª Vara Criminal de Lisboa - passando de sete anos para onze anos e meio, o tempo de prisão que Vale tem de cumprir - levou a que as autoridades portuguesas emitissem um novo mandado de detenção europeu, a 9 de Junho deste ano. Este mandado veio anular o anterior, que estava a pouco tempo de estar resolvido, uma vez que já estava no Supremo Tribunal Britânico. O processo voltou à estaca zero.

Pragal Colaço, advogado de Dantas da Cunha, num dos processos que condenou o ex-presidente do Benfica, é peremptório: "A Justiça portuguesa meteu água. Eu já tinha alertado, há dois meses, que isto podia acontecer. Todo o processo, em Inglaterra, voltou ao princípio, ou seja, ao Tribunal de Westminster [primeira instância] e o processo estava no Supremo."

"Emitir um novo mandado foi um grande erro. Nunca mais vai voltar à cadeia", acrescenta Pragal Colaço, acerca da entrega do ex-dirigente benfiquista às autoridades portuguesas.

Vale e Azevedo está com termo de identidade e residência, com o passaporte retido e impedido de viajar para o estrangeiro até à conclusão da extradição, nos tribunais britânicos há três anos. Durante sete sessões consecutivas, a decisão de extradição de Vale e Azevedo foi adiada. O processo de extradição completou três anos no passado dia 8 de Julho.»


in CM online, 18-8-2011

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Polícia espanca Polícias

 
«Um homem de 66 anos, agente aposentado da PSP, pôs-se do outro lado da Lei e, na tarde de anteontem, espancou dois colegas de Caneças, em Loures.

O agente reformado não só deu uma cabeçada num polícia como atacou outro e resistiu à detenção. Foi mesmo necessário o uso de gás pimenta para o imobilizar. Será hoje presente a um juiz.

O agressor foi abordado numa simples infracção de trânsito, quando tinha o carro estacionado na faixa de rodagem do Largo Vieira Caldas, em Caneças. Uma patrulha da PSP que passava pelo local pediu-lhe que removesse o veículo, e foi nessa altura que começou uma acesa troca de palavras.

O aposentado, bastante agressivo, de imediato deu uma cabeçada num dos agentes, acabando por ser detido. Agressor e vítima foram assistidos no Hospital de Santa Maria, Lisboa.»

in CM online, 16-8-2011


Comissão Coordenadora Permanente das Forças de Segurança admite paralisar sector em Setembro


«A comissão coordenadora dos sindicatos e associação das forças e serviços de segurança avalia na quinta-feira o impacto do congelamento das progressões nas carreiras e admite paralisar o sector em Setembro.



Em cima da mesa da reunião, onde também marcarão presença associações das Forças Armadas, vão estar "todos os cenários de luta", inclusive a possibilidade de uma paralisação em Setembro, disse à agência Lusa o secretário nacional da Comissão Coordenadora Permanente (CCP) dos Sindicatos e Associações dos Profissionais das Forças e Serviços de Segurança, Paulo Rodrigues.

A PSP, GNR e Polícia Marítima não podem fazer greve, mas Paulo Rodrigues adiantou que "há mecanismos legais ao dispor para não ir trabalhar", como baixas e assistência à família.

Paulo Rodrigues, que é também o presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) afirmou que na reunião de quinta-feira será feita uma análise da situação actual e uma avaliação do impacto do congelamento das progressões nas carreiras nos ministérios da Administração Interna e Defesa anunciadas na semana passada pelo ministro da Finanças.

O sindicalista sublinhou que esta medida afecta sobretudo os polícias e os militares da GNR, pois aguardam há mais de um ano que sejam colocados nas novas posições remuneratórios, como está previsto no estatuto profissional.

Os profissionais do sector exigem que a lei seja cumprida, afirmou, realçando que as decisões que vão ser tomadas na reunião "serão firmes".

Além dos representantes sindicais das forças e serviços de segurança, que representam mais de 30 mil profissionais, também vão estar presentes a Associação dos Oficiais das Forças Armadas (AOFA), Associação Nacional de Sargentos (ANS) e Associação de Praças da Armada (APA).

A CCP é constituída pela Associação Sindical dos Profissionais de Polícia (ASPP/PSP), Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR), Associação Sócio-profissional da Polícia Marítima (ASPPM), Sindicato Nacional dos Guardas Prisionais (SNGP), Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SCIF-SEF) e Associação Sindical dos Funcionais da ASAE.»


in DN online, 17-8-2011

João Vale e Azevedo em liberdade condicional após ter sido detido em Londres e ouvido em tribunal


«O ex-presidente do Benfica Vale e Azevedo foi detido esta manhã em Londres em sequência do pedido de extradição pedido por Portugal, mas saiu em liberdade condicional depois de ouvido no tribunal de primeira instância de Westminster.

O advogado que representa Vale e Azevedo pediu ao juiz seis semanas para juntar novos dados ao processo, um pedido que foi aceite pelo tribunal. Vale e Azevedo terá agora que comparecer no mesmo tribunal a 12 de Outubro.

Ben Lloyd, que representa a acusação, disse, por sua vez, ao PÚBLICO que a prisão desta manhã do antigo dirigente do Benfica se tratou de um procedimento normal no sistema judicial inglês como resposta ao pedido de extradição.

O escritório de advogados Kaim Todner, que representa Vale e Azevedo neste processo, explicou que a detenção informal do ex-dirigente desportivo foi combinada com a Scotland Yard. O mandado de extradição foi certificado a 21 de Julho e a defesa está a preparar o argumento para contestar o pedido feito por Portugal.

Vale e Azevedo encontra-se a residir em Londres sob termo de identidade e residência e com o passaporte confiscado.»

in Público online, 17-8-2011

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Brasil: Polícia Federal e Polícia Militar sabiam que havia um plano para matar a juíza Patrícia Acioli


«Uma omissão das autoridades ajudou a matar a juíza Patrícia Acioli, de 47 anos, famosa por condenar polícias envolvidos em crimes, executada na sexta-feira com 21 tiros ao chegar a casa, em Niterói (Rio de Janeiro), onde era esperada por vários homens encapuçados com armas de grosso calibre. Dois dias antes, um agente da divisão anti-drogas da Polícia Civil (Judiciária) do Rio de Janeiro tinha avisado a Polícia Federal de um plano para assassinar a magistrada.


- A juíza Patrícia Acioli -

O agente foi pessoalmente à sede da Polícia Federal na capital carioca informar a descoberta do plano, tal era a gravidade do caso. Essa denúncia, no entanto, apesar de ter partido de uma pessoa com credibilidade, não levou à tomada de qualquer medida especial de protecção à juíza, que não tinha escolta nem usava carro blindado.

Uma semana antes, a própria Patrícia Acioli tinha ido à sede da Polícia Militar denunciar que estava a receber ameaças de morte por parte de agentes daquela corporação. As ameaças, segundo ela, partiam de polícias dos batalhões de São Gonçalo, cidade da Grande Rio de Janeiro onde ela actuava, e de Niterói, onde vivia.

As duas denúncias ou não foram levadas a sério ou perderam-se na burocracia interna das duas corporações, pelo que nenhuma medida foi tomada. Tal como o pedido de escolta que, segundo um juiz amigo da falecida, esta tinha feito há um ano e meio ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e que nunca foi atendido.

MARCADA PARA MORRER

Patrícia Acioli era uma pessoa marcada para morrer. Em 2009, a própria Polícia Federal descobriu um plano da chamada Máfia das Carrinhas, que controla o transporte ilegal no Rio de Janeiro e cidades vizinhas, para executá-la, depois de a magistrada ter mandado prender líderes do grupo.

Em Janeiro deste ano, outra evidência do risco que a vida da magistrada corria foi descoberta. Uma lista encontrada junto a um líder do crime organizado preso nessa altura continha os nomes de 12 pessoas a serem executadas - o da juíza era um deles.

Famosa pela coragem com que enfrentava o crime organizado e, principalmente, a chamada 'Banda Podre' da polícia, constituída por agentes ligados a milícias, esquadrões da morte e assassínios encomendados, Patrícia Acioli colocou atrás das grades pelo menos 60 polícias nos últimos dez anos. Mas ganhou o ódio dos homens de farda que agem como criminosos e a antipatia até dos que agem dentro da lei mas não gostam de ver companheiros de armas na prisão.

A luta contra polícias criminosos afectou até a sua vida pessoal. Após viver maritalmente cinco anos com o cabo da polícia Marcelo Poupel, também do batalhão de São Gonçalo, Patrícia acabou por ter que se separar, e queixou-se várias vezes de que o cabo, que a espancou mais de uma vez, a pressionava fortemente para que não prendesse os seus colegas.»


in CM online, 16-8-2011

Relatório médico confirma que acusadora de Dominique Strauss-Kahn sofreu violação


«Um exame médico à empregada de quarto que acusou de agressão sexual o ex-director do FMI Dominique Strauss-Kahn confirma que foi violada, noticia esta terça-feira a revista francesa L'Express, citando um relatório de um hospital nova-iorquino.


- Dominique Strauss-Kahn e Diallo -


Segundo o documento citado pela L'Express, a "causa dos ferimentos" apresentados por Nafissatou Diallo era "agressão, violação".

O ex-director do FMI, que se diz inocente, é acusado de vários crimes por alegadamente ter tentado violar Diallo num hotel de Nova Iorque.

Detido a 14 de Maio, Strauss Kahn está desde o início de Julho em liberdade condicional.

Diallo, que segundo a imprensa americana foi apanhada em várias contradições nos seus testemunhos à polícia, prescindiu do seu direito ao anonimato e tem dado entrevistas aos "media" dos EUA.

Strauss-Kahn, que era considerado um potencial candidato à presidência de França nas eleições de 2012, regressará a tribunal numa audiência prevista para 23 de Agosto.»


Texto in JN online, 16-8-2011
Imagem in DN online

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Peso da Régua: Segurança morto a tiro


«O segurança de um estabelecimento de diversão nocturna foi, esta segunda-feira, morto a tiro, no Peso da Régua, sendo que o alegado autor do crime já se entregou na Polícia Judiciária.

Em declarações à Agência Lusa, o comandante do Destacamento Territorial do Peso da Régua, capitão Fernando Colaço, afirmou que o crime ocorreu cerca das 07.00 horas, na rua de S. Pedro, quando um indivíduo de 24 anos efectuou "pelo menos seis disparos" sobre a vítima.

O segurança, de 53 anos, acrescentou o comandante, foi atingido "com dois tiros no peito, um num braço e outro numa perna", acabando por morrer no local.

Depois de disparar "à queima-roupa", o alegado autor do crime "fugiu, mas acabou por se entregar mais tarde na Polícia Judiciária de Vila Real", acrescentou.

O comandante dos Bombeiros Voluntários do Peso da Régua, António Fonseca, acrescentou que quando elementos da corporação chegaram ao local, o segurança, de nacionalidade estrangeira, já estava morto, apesar de ter recebido assistência por parte do INEM.

António Fonseca adiantou ainda que o crime ocorreu "na zona histórica da cidade, onde decorrem alguns eventos das festas da cidade", em honra de Nossa Senhora do Socorro, e que terminam na terça-feira.

"No local estavam ainda perto de cem pessoas", disse, acrescentando ter "ideia" de que na origem do crime terão estado "desavenças" entre os dois.»


in JN online, 15-8-2011

domingo, 14 de agosto de 2011

Alfeite, Almada: Seis armas de guerra roubadas da base da Marinha Portuguesa


«Duas espingardas, duas pistolas metralhadoras e duas pistolas foram roubadas da base da Marinha no Alfeite, em Almada, disse à Agência Lusa fonte oficial da Marinha, acrescentando que o armamento é igual ao usado pelo corpo de fuzileiros.

O roubo foi detectado durante uma "ronda de vigilância ao final da tarde" deste domingo, disse o comandante Santos Fernandes, relações públicas da Marinha, à Agência Lusa.

Desapareceram do local "duas espingardas, duas pistolas metralhadoras e duas pistolas", de acordo com a mesma fonte.

As seis armas estavam inseridas numa exposição a decorrer na base da Marinha e destinavam-se a mostrar o tipo de armamento usado pelo corpo de fuzileiros. "O material de guerra, em que se incluíam as seis armas, estava disponível para uma exposição no decurso do Dia da Defesa Nacional. Quando não estavam em exposição em vitrines, o armamento era guardado no interior do edifício, numa arrecadação protegida por uma porta-grade de segurança. Essa porta foi violada", explicou o comandante Santos Fernandes.

A área foi selada, após o roubo ter sido detectado, de modo a preservar as provas.

A Polícia Judiciária Militar já está a investigar o caso, que foi avançado, esta noite, pela televisão SIC.»

in JN online, 14-8-2011

Breivik voltou ontem à ilha de Utoya para reconstituir o massacre


«O autor confesso do ataque na ilha de Utoya, na Noruega, em que foram mortas 69 pessoas, voltou, este sábado, ao local do massacre com a polícia para reconstituir o percurso do tiroteio.


- Jornal norueguês Verdens Gang mostra a foto de Breivik na sua edição electrónica -


Anders Behring Breivik foi levado pela polícia ao local do crime, por onde caminhou amarrado por uma corda e vestido com um colete à prova de bala.

Breivik "foi interrogado pela polícia (na ilha) de Utoya" no sábado, segundo um comunicado da polícia de Oslo que não indicou outros detalhes.

As autoridades mantiveram o homem permanentemente cercado, de forma a evitar que os habitantes da ilha o vissem, revela o jornal espanhol "El Mundo".

Durante oito horas, o autor do massacre fez uma reconstituição dos acontecimentos do dia 22 de Julho, que terá sido gravada pelas autoridades para ser apresentada em tribunal. Seis embarcações e um helicóptero da polícia vigiaram a ida de Breivik à ilha de Utoya.

De acordo com o advogado do assassino confesso, Geir Lippestad, o norugês de 32 anos lembra-se de cada tiro que disparou.

No duplo atentado de 22 de Julho morreram 77 pessoas, oito na explosão de um carro armadilhado no complexo governamental de Hoyblokka, em Oslo, e 69 vítimas de tiros no acampamento da juventude social-democrata na ilha de Utoya.»


in JN online, 14-8-2011

sábado, 13 de agosto de 2011

Justiça brasileira pede prisão preventiva do ex-cônsul português Adelino D'Assunção Nobre de Melo Vera Cruz Pinto

«A Justiça brasileira decretou, na sexta-feira, o pedido de prisão preventiva do ex-cônsul português Adelino Nobre Pinto.


- Adelino D'Assunção Nobre de Melo Vera Cruz Pinto -

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, Adelino Nobre Pinto é suspeito de aplicar um golpe milionário na Arquidiocese de Porto Alegre, no sul do Brasil, e é considerado foragido pela Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul.

A polícia do Rio Grande do Sul informou a Polícia Federal sobre a ordem de prisão e deverá comunicá-la à Interpol.

Adelino Nobre Pinto é acusado de intermediar o contacto entre a arquidiocese e uma suposta Organização Não Governamental belga para financiar as obras de reforma de duas igrejas.

A arquidiocese diz que depositou 2,5 milhões de reais na conta do antigo vice-cônsul como caução, mas a doação, de 12 milhões de reais, nunca chegou.

Segundo a polícia, Adelino transferiu o dinheiro para contas no Brasil e no estrangeiro.

O advogado do antigo vice-cônsul não foi localizado para comentar o caso.»


Texto in JN online, 13-8-2011
Imagem in Google

Tiago Mesquita: "Sequestrou e violou uma mulher durante 3 dias e sai em liberdade?"




«Há quem diga que a justiça neste país bateu no fundo, mas quer-me parecer que não há fundo para a nossa justiça. E a existir os juízes rapidamente tratariam de o escavar mais um bocadinho de forma a possibilitar aos cidadãos continuarem a descer o nível de consideração que têm pela classe e por muitas decisões tomadas nos tribunais que a desonram e cobrem de vergonha. Justiça made in Portugal.

Vou relembrar a notícia saída aqui no expresso, e que reli, imagine-se, no site da ASJP - associação sindical dos juízes portugueses:

"Uma turista italiana, de 25 anos, foi sequestrada em Lisboa e repetidamente agredida e violada durante três dias, numa pensão do centro da capital. Na passada sexta-feira a recém-licenciada chegou a Lisboa, após uma viagem pela Europa. Junto à estação de metro de Arroios, um homem, de 42 anos, perguntou-lhe se precisava de ajuda e ofereceu-se para lhe indicar o caminho para o hotel, mas acabou por leva-la para pensão onde estava hospedado. O rapto durou até domingo, dia em que a jovem conseguiu fugir ao terror, avança o "Correio da Manhã".

As perícias levadas a cabo pela Polícia Judiciária e Instituto de Medicina Legal não deixam dúvidas sobre a violação e repetidas agressões que deixaram a jovem com o corpo todo marcado. O homem foi presente ao tribunal, mas o juiz deixou-o sair em liberdade, ficando apenas obrigado a apresentar-se quinzenalmente na esquadra (coitado, o dinheirão que o homem vai gastar em viagens...). A jovem turista está a receber acompanhamento psicológico e apoio da embaixada italiana em Portugal." (até admira não a terem deixado em prisão preventiva, por eventual perigo de fuga para Itália)

O nojo e estupefacção perante a notícia não me permitem fazer qualquer reparo sob pena de perder a minha liberdade e não me ser aplicada igual e benevolente pena. Deixo apenas uma pergunta, simples e directa: se no lugar da desafortunada italiana tivesse sido a filha ou a esposa do meritíssimo juiz que tomou esta brilhante e inusitada decisão a vítima de tamanha desumanidade cometida por um animalzinho doente durante três longos e tortuosos dias, e visse vexa um seu colega sentado num tribunal tomar a mesma decisão, o que sentiria?

O que lhe passaria pela cabeça se no dia seguinte à audiência, enquanto bebericava o seu galão quentinho, visse entrar na pastelaria do bairro o indivíduo que três dias antes tinha levado a sua filha, prima, mulher, amiga ou colega para uma pensão ranhosa e a tivesse forçado a fazer coisas indescritíveis sob ameaças e agressões permanentes? Sentir-se-ia bem? Continuaria impávido e sereno a beber o leitinho com café, sem pestanejar?

Se sim já cá não está quem falou. Se não sugiro-lhe que bata com a cabeça numa parede porque merece (acredite).Desculpem o termo, mas não há outro que melhor defina a justiça em Portugal: é uma merda!»


in Expresso online, 12-8-2011
 

Húngria: Vítimas de extorsão foram enterradas vivas


«A polícia húngara anunciou, esta sexta feira, a descoberta de quatro corpos enterrados numa ilha, no sul de Budapeste. Segundo a imprensa local, as quatro vítimas terão sido enterradas até ao pescoço ainda com vida, depois dos criminosos terem extorquido os códigos dos seus cartões de crédito.

As escavações ocorreram, na passada quinta-feira, numa floresta situada na ilha de Cspel, no rio Danúbio, que está localizada na zona sul da capital húngara.

"As causas, datas e circunstâncias da morte estão a ser examinados pelos peritos médicos legistas", informaram as autoridades em comunicado.

De acordo com o jornal húngaro "Magyar Nemzet", os investigadores receberam uma denúncia de um sobrevivente dos ataques.

O homem, que foi enterrado vivo até ao peito, conseguiu libertar-se e escapou a um cão de guarda que os criminosos deixaram no local.

O sobrevivente foi convidado por um homem conhecido, de origem sérvia, a dirigir-se à ilha com um casal sem-abrigo, para uns momentos de convívio.

Após a chegada, o casal terá agarrado o húngaro e ameaçado estrangulá-lo, caso este não revelasse o código do seu cartão de crédito.

A polícia de Budapeste já prendeu os suspeitos e foi o homem de origem sérvia, um suposto agiota, que levou as autoridades ao local das mortes.»


in JN online, 13-8-2011

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Brasil: Juíza Patricia Acioli morta com 16 tiros no Rio de Janeiro

«A juíza brasileira Patricia Acioli, da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, foi assassinada na madrugada desta sexta-feira com vários tiros quando voltava de sua casa em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, noticiou a imprensa brasileira.

- Patricia Acioli -

De acordo com testemunhas citadas pela imprensa brasileira, Patricia Acioli, 44 anos e mãe de três filhos, foi morta com vários tiros quando se aproximava da entrada do condomínio onde residia, no Timbau, bairro do distrito de Piratininga, em Niterói, no Rio de Janeiro.

No total, foram disparados 16 tiros por pessoas ainda não identificadas, que seguiam em dois carros e duas motas.

A magistrada da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo era conhecida por uma actuação dura contra os grupos criminosos que operavam naquela cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro. Na sua lista de condenações figuram elementos de milícias e máfias de combustíveis e transportes alternativos, refere a imprensa brasileira.

De acordo com fontes da família de Patricia Acioli, a magistrada foi alvo de várias ameaças de morte.

O carro da vítima está a ser analisado na Divisão de Homicídios na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A polícia carioca analisa igualmente as imagens das câmaras de segurança do condomínio onde Patricia Acioli habitava.

O funeral da magistrada realiza-se esta sexta-feira no Cemitério de Marui Grande, no bairro do Barreto, em Niterói, na região metropolitana do Rio, adianta o portal de notícias G1.»


Texto in CM online, 12-8-2011
Imagem in Google

Lisboa: Polícia Judiciária detém ex-bancário suspeito de burlas de 9 milhões de euros


«Um ex-bancário de 40 anos foi detido hoje pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeita de vários crimes de falsificação de documento, burla qualificada e branqueamento.

Segundo o comunicado divulgado pela PJ na sua página na Internet, a conduta do suspeito terá provocado “prejuízos na ordem dos nove milhões de euros”.

As vítimas do alegado burlão eram os clientes do banco onde aquele trabalhava e, “em última instância, a instituição de crédito”, que poderá ser obrigada a reparar os danos causados, de acordo com a informação fornecida pela PJ à agência Lusa.

O detido andava há mais de dois anos “fugido à acção da justiça”, refere o comunicado da PJ que esclarece que os factos em investigação se reportam a 2007 e a 2008.

O homem foi detido em Lisboa por elementos da Unidade Nacional de Combate à Corrupção e presente ao juiz para aplicação de medidas de coacção.»


in Público online, 12-8-2011

Três alegados incendiários detidos pela Polícia Judiciária


«A PJ do Norte anunciou a detenção de dois jovens suspeitos de provocarem vários incêndios florestais em Resende. No distrito de Coimbra, um homem foi detido por suspeita da autoria de dois incêndios florestais no concelho de Penacova.

Com a colaboração da GNR, foram recolhidos fortes indícios de "pelo menos quatro ignições que provocaram dois incêndios florestais ocorridos a 10 de Agosto, tendo ardido uma área florestal de 10 mil metros quadrados" em Resende.

Em comunicado, a PJ explica que "o incêndio ocorreu em local bastante florestado, sendo que só não atingiu maiores proporções em virtude da pronta intervenção dos bombeiros".

Diz ainda que "a razão destes fogos florestais prende-se, uma vez mais, com motivos fúteis".

Com 18 e 22 anos, os detidos, sem antecedentes criminais conhecidos, vão ser presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação entendidas por adequadas.

Em Coimbra, foi detido de um homem suspeito de ter ateado dois incêndios florestais, este ano, no concelho de Penacova, ambos em zona de grande densidade florestal.

Em comunicado, a PJ revela que um dos fogos foi ateado no passado dia 28 e outro a 3 de Março, tendo sido consumidos, em ambos, cerca de três hectares de floresta constituída por oliveiras, pinheiros e eucaliptos.

"O incêndio ateado no passado 28 de julho, aquele que ganhou maiores dimensões, só não teve consequências mais graves graças à pronta e eficaz intervenção de grande número de bombeiros, com recurso a várias viaturas e meios aéreos", adianta.

O detido pela PJ, através da Diretoria do Centro, tem 46 anos e reside numa freguesia do concelho de Arganil (Coimbra).

Tem antecedentes criminais por furto e vai ser presente a primeiro interrogatório judicial para aplicação de medida de coação tida por adequada.

"A Polícia Judiciária durante este verão já deteve 15 pessoas pela prática de crimes de incêndio florestal", é referido ainda na nota.»


in JN online, 12-8-2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Almeirim: Mandado de captura para homem falecido há três anos

«Ana Maria Lopes nem queria acreditar no motivo que levou a GNR de Almeirim a tocar-lhe à campainha de casa, na terça-feira à tarde. Os militares levavam um mandado de captura para deter e conduzir à prisão o seu irmão, José António Oliveira, que faleceu quase há três anos. Mesmo depois de morto, foi declarado contumaz pelo Tribunal de Execução de Penas de Évora, e tem um ano e sete meses de cadeia para cumprir.


- Ana Maria Lopes, irmã do morto que a GNR de Almeirim queria prender -


"Isto é brincar com os nossos sentimentos", disse ontem Ana Maria Lopes ao CM, recordando que a família comunicou a sua morte às autoridades. José Oliveira faleceu a 30 de Setembro de 2008, aos 49 anos, no Hospital São Francisco Xavier, que na altura tentou, sem sucesso, contactar os familiares.
Os seus cinco irmãos tiveram conhecimento do óbito por mero acaso, em Janeiro deste ano, quando se preparavam para assinar uma escritura e foram informados pela Conservatória de Alpiarça.
Ana Maria Lopes julgava-o vivo, até porque nunca deixou de receber correspondência dos tribunais dirigida ao irmão. "Mas eu própria dirigi-me à GNR, poucos dias depois de saber que o meu irmão tinha morrido", conclui a mulher.»

in CM online, 11-8-2011

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

S. Pedro da Torre, Valença: Matou um irmão à paulada e feriu outro


«Um homem, de 50 anos, agrediu esta quarta-feira, à paulada, dois dos seus irmãos. Um deles, de 61 anos, morreu e o outro, com cerca de 50, ficou ferido com gravidade. O crime ocorreu em S. Pedro da Torre, em Valença.
 
 
A agressão ocorreu, cerca das 9.30 horas, na cozinha da casa da vítima mortal, que se encontrava na companhia de um irmão. O indivíduo, com cerca de 50 anos, e que terá problemas relacionados com o uso de drogas, irrompeu pela cozinha empunhando um bastão e espancou os seus irmãos.

O mais velho, um ex-emigrante no Canadá, morreu no local. O ferido foi transportado para o Hospital de Viana do Castelo. O agressor, que já havia anunciado, mais do que uma vez, que havia de matar os irmãos, foi a casa e voltou ao local do crime, encostando-se a um muro a ver o que se passava.

Foi detido pela GNR. O corpo do ex-emigrante ainda se encontra no chão da cozinha, aguardando a chegada do delegado de saúde.»


in JN online, 10-8-2011

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Sport Lisboa e Benfica condena "bárbara agressão" a Pedro Proença

«O Benfica condenou esta terça-feira, em comunicado, a "bárbara agressão" de que foi vítima o árbitro Pedro Proença, e considerou que episódios como o que sucedeu segunda-feira num centro comercial de Lisboa "desprestigiam o desporto".




"São episódios como este que desprestigiam e empobrecem o desporto, em geral, e o futebol, em particular. Nada justifica este tipo de actos e atitudes, porque eles reflectem o pior lado de quem perdeu qualquer tipo de valores", refere o comunicado publicado no site oficial do clube.

O Benfica deixa "uma inequívoca palavra de solidariedade" ao árbitro lisboeta, manifestando "o desejo de rápidas melhoras" e de que a "justiça haja de forma célere".

Pedro Proença foi agredido na segunda-feira no Centro Comercial Colombo, quando se preparava para jantar, depois de terminar o treino de ginásio, tendo sofrido ferimentos na boca e partido dois dentes.

Devido aos ferimentos sofridos, Pedro Proença, que domingo dirigiu o encontro da Supertaça, entre o FC Porto e o Vitória de Guimarães, não poderá arbitrar na primeira jornada da Liga no próximo fim-de-semana, nem dos ‘play-off’ da Liga Europa ou da Liga dos Campeões.»


in CM online, 09-8-2011